3 formas de investir em criptomoedas para compor a sua carteira de investimentos

As criptomoedas estão dominando o mundo e cada vez mais ganhando visibilidade, proporcionando bons retornos ao investidor. Para conseguir resultados satisfatórios, pode-se considerar maneiras de se investir em criptomoedas. Você consegue imaginar quais são? 

Neste artigo, separamos 3 formas inteligentes de se dar bem com criptomoedas. Confira como os criptoativos podem compor a sua carteira de investimentos e ter bons resultados no seu bolso. Para isso, é só continuar a leitura.

Quais são as principais Criptomoedas?

As famosas Criptomoedas é um tipo de moeda como outras que usamos no nosso cotidiano, mas tem um pequeno detalhe que faz toda a diferença: ela é totalmente digital. Além disso, não são produzidas ou controladas pelos bancos. São códigos que podem ser convertidos em valores e possuem uma proteção por criptografia e pela tecnologia Blockchain.

A Cripto mais conhecida é o Bitcoin e está disponível em corretoras especializadas e tem várias formas de se investir nelas. Com as Criptos não é diferente, a escolha do tipo também depende do seu perfil, então, aproveita para analisar as três mais comentadas e avalie se condiz com a sua carteira. Vamos lá!

Bitcoin

O BTC é um sistema de pagamentos global totalmente descentralizado que surgiu para substituir o dinheiro de papel e eliminar a presença de bancos na intermediação de operações financeiras. Na prática, funciona assim: dois indivíduos, mesmo em países diferentes, podem enviar BTC um para outro sem precisar de um banco ou instituição financeira internacional.

Suas transações são confirmadas na blockchain, um banco de dados que registra todas as negociações dos usuários. O Bitcoin é bem independente para você utilizar com inteligência e segurança. Vale a pena ficar de olho, pois ele é bem citado no mundo financeiro, atualmente.

Ethereum

Há algumas semelhanças e diferenças entre Ethereum e Bitcoin. O Ethereum é também uma plataforma descentralizada e utilizada para gerar “contratos inteligentes”, que são operações realizadas no automático quando algumas condições são cumpridas. Esse tipo de Criptomoeda também tem o respaldo do blockchain para a validação das transações.

Já a diferença que tem do Bitcoin é que a Ethereum pode cobrar uma taxa para realizar transações. Além disso, não existe um limite para liberar uma quantidade dessa criptomoeda.

Bitcoin Cash

E por último: o Bitcoin Cash. É uma nova versão do Bitcoin que foi desenvolvida para aperfeiçoar a primeira versão devido às taxas elevadas e ao grande tempo de processamento de cada operação. Esse BTC é diferente do outro no limite de tamanho. Enquanto seu bloco é de 8 MB, o do Bitcoin é de 1 MB, o que significa que o BTC Cash é mais rápido nas confirmações de transações e suas taxas são mais baixas.

Vamos abordar agora, uma das partes mais importante de se investir em Criptomoedas, as oscilações de preços. Veja no tópico seguinte.

Como funciona a variação de preço?

O preço vai variar de acordo com a regra básica do mundo dos negócios: depende da lei da oferta e da demanda. Com sua popularidade em alta, as Criptomoedas têm sido muito procuradas pelos investidores, o que amplia o volume de compras e estimula a alta dos preços.

Porém, esse tipo de investimento ainda é pequeno, sendo assim, poucas operações com Criptomoedas causam impactos relevantes em cotações. Para se ter uma ideia, em 2017, o preço do Bitcoin saltou de 4.370 dólares para 13.800 dólares. Um ano depois, recuou para 3.500 dólares. 

Ou seja, as cotações costumam ser bem voláteis. Por isso, se for investir em Criptomoedas, você vai precisar de atenção redobrada. Não fique com dúvidas e não hesite em falar com um especialista. Mas você pode continuar lendo este artigo para conhecer 3 formas de investir em Criptos, no próximo tópico.

3 formas de investir em Criptomoedas

Ao investir ou adquirir Bitcoins e outras criptos, é possível comprar cotas de Fundos de Criptomoedas, realizar negociações diretamente de uma conta numa corretora especializada, recebendo moedas digitais como pagamento em alguma negociação. Obter cotas de Fundos é uma das formas mais simples. Confira a seguir como:

01 – Investimentos direto em moedas 

É a maneira mais popular de investir em Bitcoins ou Ethereum.Neste caso, você pode abrir uma conta numa corretora especializada, conhecida como Exchange,  que é uma maneira segura de investir em criptos. Ao mesmo tempo, é crucial que você entenda muito do mundo das Criptomoedas, pois como dito anteriormente, é um mercado que oscila bastante.

Mesmo com o preço do Bitcoin valendo hoje, em média 50 mil dólares a unidade, é possível comprar frações por preços mais em conta. No Brasil, você pode comprar uma fração de Bitcoin por 10 reais.

02 – ETFs de Criptomoedas 

Outra opção são os Exchange Traded Fund, traduzido como Fundo de Índice, seu investimento é administrado por um gestor profissional e é aplicado diretamente na B3, bolsa de valores brasileira. O primeiro ETF de Criptomoedas do Brasil é Hashdex Nasdaq Cripto Index (HASH11), que é gerido pela Hashdex na bolsa de valores brasileira e pode ser acessado por todos os investidores.

A carteira desse ETF segue o mesmo índice dos fundos distribuídos pela XP Investimentos, o Nasdaq Cripto Index (NCI), com uma valorização de 131,27% no ano, válido até 16 de abril de 2021.

Após o aval da Comissão de Valores Mobiliários para lançar o ETF de Bitcoin, com referência no índice do Bitcoin e negociado na bolsa de valores de Chicago, qualquer investidor pode comprar cotas dessa carteira na bolsa. Mais uma opção para você avaliar e investir.

03 – Fundos de Investimentos 

Você também pode investir em Fundos de Investimentos de Criptomoedas. No Brasil, esse tipo de investimento é permitido por aplicações indiretas. Ou seja, por meio de cotas de outros fundos ou através de derivativos no exterior, regulamentados em seu país.

Este tipo de investimento em Cripto é mais convencional de investir e também possui a atuação de um gestor profissional podendo ser investidos diretamente numa corretora de sua confiança. Um detalhe importante é que o tamanho da alocação em moedas virtuais pode variar de 20% a 100% da carteira.

É importante saber também, que fundos temáticos são opções mais agressivas comparado a outros fundos, devido às influências macroeconômicas dentro de suas especializações. Sendo assim, é você pode verificar a lista que separamos dos principais fundos em criptomoedas no e-book: Criptomoedas –  como investir com inteligência e investir em moedas digitais.

Câmbio

Carta de Câmbio Julho 2022

Você notou que no mês de julho o dólar teve uma volatilidade de quase 10%?!Pois bem, o dólar fechou em leve alta nesta ultima sexta-feira

Leia mais