BLOG

Opiniões dos nossos especialistas para você.

Quero investir, mas por onde começar?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram

Conheça as diferentes formas de construir um patrimônio que mais combinam com você.

Iniciar um investimento para a realização de um projeto, construção de um patrimônio ou simplesmente para uma reserva emergencial não precisa ser um monstro de sete cabeças.

Em 2020 tivemos mais de 3 milhões de pessoas que entenderam que o mercado financeiro é o único meio para buscar a valorização e rentabilidade dos seus investimentos.

Com a possibilidade de começar a investir com valores à partir de R$ 100,00 muitas pessoas ainda se confundem com as nomenclaturas de mercado e nós da Braúna Investimentos acreditamos na democratização do mercado financeiro, por isso elaboramos um conteúdo que vai explicar tudo o que você precisa saber para começar investir ou diversificar suas alocações e antecipar os seus sonhos!

O que é o Mercado Financeiro?

Muito mais do que apenas ações, o mercado financeiro apresenta variadas formas de investir, baseados em uma análise de perfil, é possível desenhar o melhor atalho para você conquistar os seus objetivos.

Para começar a conhecer mais sobre o famoso mundo dos investimentos, vamos apresentar em detalhes, algumas das alternativas que farão o seu dinheiro ser mais rentabilizado no curto e no longo prazo!

São elas:

  • Renda Fixa e seus subprodutos
  • Renda variável e suas alternativas
  • Opções
  • Fundos de Investimentos
  • Mercado Futuro
  • Câmbio
  • Previdência Privada

Renda Fixa – Para quem prefere garantia à longo prazo

Segundo dados da Bolsa Brasil Balcão (B3), a maioria dos investidores brasileiros tem uma característica conservadora, seja pelo fato da educação financeira ainda não ser difundida como deveria ou pelo receio de exposições que outros produtos do mercado financeiro apresentam.

A renda fixa é uma alternativa muito procurada por investidores que pensam no longo prazo. 

Alguns produtos de renda fixa permitem resgatar o investimento antes de seu vencimento, enquanto outros podem apresentar características de liquidez diária, ou seja, poderá resgatar o seu dinheiro a qualquer momento com o rendimento que teve ao longo do tempo em que o valor ficou aplicado e ainda, alternativas para ficar investido até o seu vencimento.

Seja qual o produto que você escolher, é necessário que se faça um planejamento de uso dos recursos. Se o plano é comprar a tão sonhada casa em 5 anos, pagar a faculdade dos filhos daqui a 15 anos, ou mesmo se programar para a tão desejada aposentadoria daqui a 30 anos, sempre terá uma aplicação de renda fixa que se encaixa perfeitamente ao seu planejamento. 

A maioria desses investimentos estão atrelados à taxa CDI, que sempre anda junto da taxa Selic. Em outras palavras, é a taxa básica de juros da nossa economia, definida pelo Comitê de Política Monetária – COPOM que é ligado ao Banco Central do Brasil, sendo que a definição dessa taxa de juros depende de alguns setores da economia como inflação, gastos do governo e variação cambial.

É esta taxa que definirá os rendimento da aplicação, que poderá ser pré-fixada ou pós.

Conheça as opções mais buscadas no mercado de Renda Fixa

CDB – Certificado de Depósito Bancário

O CDB é um tipo de investimento como se você investidor, emprestasse o seu dinheiro ao banco emissor desse título e em troca recebe juros por isso.

Esse investimento pode ser:

  • De liquidez diária: você pode resgatar a qualquer momento sem nenhuma penalidade;

  • Com vencimento / prazo específico: você deverá aguardar o resgate até o seu vencimento, que podem ter prazos que vão de meses até anos.

Por ser um investimento com prazo determinado, onde abre-se mão da possibilidade de resgatar a qualquer momento, a taxa de rentabilidade paga a você investidor será maior que a rentabilidade do CDB de liquidez diária. 

Essa modalidade de investimento possui garantia do FGC – Fundo Garantidor de Crédito.

LCI – Letra de Crédito Imobiliário e LCA – Letra de Crédito do Agronegócio

As Letras de Crédito são os investimentos conhecidos por serem isentos de imposto de renda para pessoas físicas.

São produtos que possuem um prazo de resgate, tendo que ser levado até o seu vencimento para garantir a rentabilidade acordada. 

Possui garantia do FGC – Fundo Garantidor de Crédito.

Crédito Privado

Conhecida como Debênture, seguirá as mesmas regras citadas acima em relação à rentabilidade e prazo. A diferença é que ao invés de você emprestar o seu dinheiro para instituições bancárias, o valor investido será utilizado por uma empresa S.A. de capital aberto com registo na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). 

Essa opção de investimento também pode conter garantias específicas e podem ser conversíveis em ações. 

Essa modalidade não possui garantia do FGC.

Ainda na modalidade de crédito privado, temos: 

CRI – Certificado de Recebíveis Imobiliários e os CRA – Certificado de Recebíveis do Agronegócio.

Emitidos por empresas responsáveis por empacotar créditos a receber de diversas empresas, estruturar o CRI ou CRA, captar o seu dinheiro que será repassado a essas empresas que estão cedendo os créditos e em troca você tem uma rentabilidade pré-estabelecida que é isenta de imposto de renda para pessoa física. 

Essa modalidade não possui garantia do FGC;

Fundos de Renda Fixa ou Fundos DI

De comportamento semelhante ao de um CDB em relação a rentabilidade atrelada à taxa básica de juros do Brasil. Este tipo de investimento geralmente apresenta liquidez para resgate bem curta, ou seja, poderá solicitar o resgate a qualquer momento e o pagamento dos recursos é creditado em sua conta em até 2 dias úteis, recebendo toda a rentabilidade que teve durante o tempo de aplicação. 

Quando se aplica em um fundo de renda fixa, podemos dizer é uma cesta diversificada com vários ativos.

O gestor do fundo tem o poder de alocar os recursos em vários CDB’s de emissão de vários bancos, como também aplicar em outros fundos de renda fixa e investir em títulos públicos, sempre mantendo uma alocação de perfil conservadora. 

Vale ressaltar que um fundo de investimento em renda fixa nada mais é que uma empresa financeira, onde todo o dinheiro alocado nele, pertence exclusivamente aos investidores cotistas, onde é composto por vários investidores, também chamado de “condomínio” dado a sua dinâmica em ter vários participantes com um propósito em comum;

Tesouro Direto

Esse é um dos investimentos em renda fixa mais comuns na diversificação de carteira, onde basicamente você empresta o seu dinheiro para o Governo Federal.

Nessa modalidade de investimento, encontraremos vários títulos distintos com vencimentos diferentes e com 3 formas de remunerar o seu dinheiro investido. 

O título mais buscado atualmente é o atrelado ao IPCA que garantem uma proteção contra a inflação, você escolhe o prazo que mais se encaixa aos seus planos de uso do dinheiro e a sua remuneração será uma taxa pré-fixada acrescida do IPCA

A segunda modalidade mais utilizada é o Tesouro Selic que tem a remuneração diária atrelada a nossa taxa de juros Selic e com liquidez diária para resgate.

A terceira opção são títulos pré-fixados que lhe darão uma taxa de rentabilidade totalmente pré-fixada, com uma data específica de vencimento e é sempre importante se programar para que seus planos de uso do valor aplicado esteja casado com o vencimento do título;

A Braúna Investimentos conta com mais 200 opções de investimentos em Renda Fixa.

Renda Variável – Para quem busca alta performance

Ações 

Também conhecida como papéis, são forma de investimento com exposição às oscilações do mercado, onde você se torna sócio de uma ou várias empresas e em alguns casos, recebe parte das divisões de lucros.

Como acionista da empresa, tem algumas obrigações, direitos e deveres.

Por se tratar de um mercado que sofre influências constantes, este tipo de investimento na renda variável pode oferecer riscos, por isso o perfil indicado para esse mercado é o moderado e arrojado.

É parte importante de uma carteira de investimento de longo prazo, quando se aplica em ações em uma oferta primária, também conhecido como IPO.

O dinheiro aplicado em ações, podem ir para o caixa da empresa ou direto para os acionistas que estão vendendo parte de suas ações da empresa, mas isso estará pré-estabelecido na confecção das condições do IPO. 

Quando se compra as ações no famoso mercado secundário, significa que você está comprando de alguém que está vendendo suas ações por variados motivos e este valor que está sendo investido por você não irá para o caixa da empresa, e sim para o bolso do investidor que está se desfazendo da posição naquela ação. 

Você na condição de acionista da empresa, terá direito a receber parte dos lucros, assim como se beneficiar da valorização do preço da ação que é negociada em nossa bolsa de valores. Vale lembrar que diariamente os preços das ações estão sujeitos às variações e no curto prazo essa oscilação pode ser expressiva, necessitando de um acompanhamento por parte do investidor para validar os motivos dessas oscilações e validar se ainda faz sentido seguir sendo ou não acionista da empresa em questão.

Outra forma de ter ação na sua carteira de investimentos é especulando no curtíssimo prazo, fazendo as operações que podem durar alguns minutos, horas ou dias, conhecido como Scalper, Day Trade ou Swing Trade.

A intenção aqui é tentar ganhar dinheiro com os preços subindo ou caindo. Essa modalidade exige muito estudo, perícia do que se está fazendo e cuidados na gestão de risco para não ter grandes prejuízos;

Comece a investir hoje mesmo e tire seus planos do papel

Opções 

São os investimentos cujos preços derivam das ações. Basicamente se negocia o direito de comprar ou vender uma ação em uma determinada data a um preço pré-estabelecido.

O mesmo vale se estiver com uma posição vendida na Opção, onde terá as obrigações inversas, ou seja, terá que vender ou comprar uma ação compulsoriamente na data e preço pré-estabelecido. 

Essa modalidade lhe permite realizar diversas estratégias, com uma gama de possibilidades infinitas, mas as mais utilizadas são para proteção de carteira ou alavancagem de ganhos. 

Deve-se ter cuidado com essa modalidade por ter preços baixos na aquisição, permitindo uma alavancagem considerável, precisa saber no detalhe o que se está montando para não ter surpresas desagradáveis. Porém, as opções quando bem utilizadas, com cautela e maestria, podem gerar lucros consideráveis e consistentes;

Fundos de investimento

Uma modalidade cercada pelas possibilidades, as alternativas de estratégias para diversificação são muitas.

Você pode investir em fundos que possuem uma equipe de gestão especializada em operar todas as modalidades de investimento do mundo. Exemplo, temos fundos que investem em mercados da Ásia, Europa e Estados Unidos, acessando nessas regiões as infinitas estratégias de mercado, operando variação de preço das commodities como:

  • Petróleo
  • Soja
  • Proteína animal
  • Milho
  • Café
  • Trigo 

Há também a possibilidade de operar variação de preço:

  • Ouro
  • Prata
  • Dólar
  • Euro
  • Libra
  • Criptomoedas

Os fundos são o portal para investir de forma profissional nas melhores estratégias globais. 

Conheça nosso portfólio de fundos e comece hoje mesmo a investir no seu futuro

Fundo de Investimento Imobiliário 

Ganhando cada vez mais espaço na carteira do investidor, essa modalidade está totalmente atrelada ao mundo real dos investimentos em imóveis. 

Quando você compra cotas de um Fundo Imobiliário (FII), terá de fato participação nos imóveis que compõem a carteira de investimentos do FII. 

Sabe toda aquela parte burocrática de se comprar um imóvel e administrá-lo? Nos FII essa responsabilidade é terceirizada para a equipe de gestão do fundo, que fará a administração dos imóveis, recolhimento de impostos, venda e compra de novos imóveis, acompanhar o mercado imobiliário para buscar as melhores oportunidades, para tanto, paga-se uma taxa de administração para os gestores e você fica apenas com os benefícios desse mercado.

Com 4 classes de fundos disponíveis para investir, os mais conhecidos e demandados são os fundos de tijolo, estes de fato possuem os imóveis, são donos de prédios comerciais, galpões de logística, shopping centers, hospitais, faculdades, hotéis, fazendas e imóveis residências, a maioria desses fundos pagam mensalmente os dividendos para o investidor

Esses dividendos nada mais é que no mínimo 95% dos aluguéis recebidos dos imóveis que são compartilhados. 

Temos também os fundos de papel, que são aqueles que investem em ativos do mercado financeiro como Letra de Crédito Imobiliário, Certificado Recebíveis Imobiliário e Letra Hipotecária, que são investimentos que possuem imóveis como lastro ou garantia dessas emissões. 

Outra opção de FII são os FOF – Fund of Fund ou fundo de fundos, que são fundos de uma carteira de investimentos com várias cotas de outros fundos imobiliários, levando em consideração que hoje temos mais de 200 FII negociados na nossa bolsa de valores, fazer uma curadoria de todos esses fundos não é uma tarefa fácil, por isso temos essa modalidade que faz essa seleção das opções que julgam ser as melhores naquele momento, com o acompanhamento completo, indicando quando vender com lucro ou abrir uma nova posição em algum outro FII.

Nossa quarta estratégia mais conhecida são os fundos híbridos, que são os fundos que tendem a adotar todas as três estratégias citadas acima. Ele pode ter um pouco de tudo, comprar os imóveis, ter posição nos fundos de papel e nos FOF, tudo isso alocado dentro de seu portfólio de investimentos, uma gestão diversificada e completa. 

Mercadorias e Futuros,

Um segmento que é conhecido pela possibilidade de alavancagem e dos ganhos rápidos, pois é onde se constrói uma proteção contra as oscilações e incertezas dos preços na economia real. 

Neste segmento é possível negociar as expectativas de preço para uma data futura em ativos como boi, milho, soja, café, petróleo, ouro, dólar, etanol, dentre outros. 

Consideramos esse mercado como alavancado porque é possível montar posições colocando apenas garantias para manter a posição, por exemplo, se você tem R$ 10 mil aplicado em Títulos Públicos, podemos alocar esses títulos em garantia na bolsa de valores e você poderá abrir uma posição comprada ou vendida em qualquer um dos ativos citados acima, ou seja, você não está efetivamente comprando o ativo, está apenas alocando uma garantia para ficar exposto a oscilação de preço daquele ativo. 

Ressaltando que é um mercado alavancado com fortes oscilações, e isso é para o bem quando a posição flui a seu favor e se consegue ganhar muito dinheiro no curto prazo, quanto para o mal se não tiver um controle de risco eficiente como nosso time de assessores e deixar a posição andar contra você por muito tempo e lhe causar grandes perdas. 

Previdência e Seguro de Vida

Com foco em longo prazo e proteção de capital, os fundos de previdência privada são excelentes instrumentos para realizar um investimento com vantagens tributárias, pois possuem benefícios como uma tributação menor sobre a rentabilidade quando comparado às demais opções de investimento, isso faz com que a acumulação de capital seja mais eficiente

É possível mudar de fundo, alocando em outra estratégia sem precisar fazer o resgate.  Nesse caso é só fazer uma portabilidade entre fundos sem custos e sem tributação. 

Temos ainda a alternativa de aplicar em uma modalidade de previdência que diminui a sua base de renda tributável no ano legível, possibilitando o pagamento de menos imposto, algo que é sempre bem-vindo e todos nós gostamos. 

Já o seguro de vida é a garantia de que os seus planos estão protegidos, caso ocorra algum evento que necessite de dinheiro para solução imediata, o seguro prove esses recursos para dar segmento nos seus projetos em vida.

Câmbio

As soluções de câmbio para Pessoa Física (PF) e para Pessoa Jurídica (PJ), são parte integrante e fundamental do mercado financeiro. 

No caso da PF, sempre há uma parcela de investidores que precisam enviar recursos para um familiar no exterior ou internalizar valores recebidos a título de bonificação como fruto de seu trabalho em multinacionais. 

Para PJ a necessidade de pagar fornecedores no exterior ou mesmo receber recursos provenientes de seu faturamento mundo afora, agimos na busca de cotações justas e com um atendimento focado em resolver as questões com agilidade. 

Em caso de dúvidas, fale com nossa Assessoria!

 

Disclaimer: 

Importante: CRI, CRA, FIDC e Debêntures não contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC). CDB, LC, LCI e LCA contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que garante a devolução do principal investido acrescido de juros referente a rendimentos, na hipótese da incapacidade de pagamento da instituição financeira, até o limite de R$ 250mil por CPF ou CNPJ, por conjunto de depósitos e investimentos em cada instituição ou conglomerado financeiro, limitado a R$ 1.000.000,00 a cada período de 4 anos, para garantias pagas para cada CPF ou CNPJ. Para mais informações, acesse o site do FGC: www.fgc.org.br Os riscos da operação com títulos de renda fixa estão na capacidade de o emissor (governo, em se tratando de títulos públicos, empresa ou instituições financeiras, em se tratando de títulos privados) honrar a dívida (risco de crédito); na impossibilidade de venda do título ou na ausência de investidores interessados em adquiri-lo (risco de liquidez); e na possibilidade de variação da taxa de juros e dos indexadores (risco de mercado). Em se tratando de título privado, o risco de mercado inclui, ainda, o chamado prêmio do risco, que é aquele inerente à capacidade de pagamento da emissora do título. Muito importante a adequada compreensão da natureza, forma de rentabilidade e riscos dos títulos de renda fixa antes da sua aquisição. Rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura. Para informações e dúvidas sobre produtos, contate seu assessor. 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram